Está aberta a segunda edição do Quero na Escola Especial Professor

Estão abertas as inscrições para a segunda edição do Quero na Escola – Especial Professor, uma parceria com a Fundação SM para que os educadores também possam pedir a participação da sociedade na escola. A partir de hoje, 18 de julho, profissionais de escolas públicas de todo o Brasil podem solicitar aulas, atividades e visitas de especialistas. Pode ser para ensinar algo aos próprios professores ou para promover uma atividade aos estudantes.

Os pedidos serão divulgados para pessoas que entendem do assunto e gostariam de promover uma atividade sobre isso na escola. Em outubro, mês dos professores, esperamos que a presença da comunidade possa diversificar o cotidiano dos educadores e retribuir um pouco da dedicação que empregam diariamente à educação.

Na primeira edição, em 2016, professores de 26 cidades em 14 estados fizeram pedidos que resultaram em atividades para 700 pessoas dentro de escolas públicas.

Ao se inscrever em queronaescola.com.br/professor, o educador diz em que área atua e o que gostaria de aprender ou levar à sua escola. Podem ser aulas sobre um software ou alguma arte, uma atividade esportiva ou cultural, como também pode ser um profissional que enriqueça um projeto da escola ou da sua turma. E pode ser também algo que a gente não anteviu, mas você, que vive o cotidiano da escola, sabe que seria interessante. O que é? Pede aqui!

Anúncios

Pedido no Quero na Escola vira dia de palestras no teatro municipal de Severínia

Mais de duzentos estudantes, professores e moradores de Severínia, no interior de São Paulo, lotaram o Teatro Municipal da cidade para assistir a três palestras sobre carreiras profissionais no dia 28 de junho. O ponto de partida para o evento foi a inscrição do estudante de Medicina Veterinária da Unesp, Caio Gonçales, ao pedido de um aluno no Quero na Escola.

O voluntário que mora em Rio Preto se sensibilizou porque, além de Severínia ser sua cidade natal para onde ainda costuma voltar nos fins de semana, ele mesmo estudou na Escola Municipal Esmeralda Duarte da Silva durante o ensino fundamental. Quando soube da coincidência, a professora de Artes, Graziele Chianpesan, pensou em chamar outros profissionais que estudaram lá para compartilhar sobre suas profissões. Conseguiu reforço de um profissional de tecnologia da informação e de um procurador de justiça.

O evento foi crescendo e precisou de um espaço maior. Veio a ideia do Teatro. “A diretora nem acreditava que os estudantes iriam sendo fora da escola!”, conta a professora, feliz com o sucesso do evento.

19620498_1904001699858186_3145375563142803826_o.jpg
Teatro Municipal de Severínia lotado para assistir às palestras

A estudante Karoline Cardoso, que assistiu às três palestras, conta ter ficado surpresa com as possibilidades da Medicina Veterinária e se sentiu inspirada após as apresentações:

“Achei importante o fato dos palestrantes terem comentado além de suas carreiras profissionais, alguns fatos de suas vidas pessoais, como ter conseguido alcançar uma boa profissão, tendo estudado em escola pública, o que muita gente acredita que seja impossível”.

Caio conta que viveu diferentes emoções no palco. “Não sei descrever a experiência que tive, um orgulho de voltar ao lugar que ajudou a construir o cidadão que sou hoje, poder passar para os alunos o que aprendi na universidade, mostrar para eles as inúmeras áreas que o médico veterinário pode atuar”. Ele tirou dúvidas em relação as disciplinas da faculdade e falou sobre bem estar animal e como lidar com os bichos. “Foi tudo muito gratificante!”.

Quer ver os outros pedidos que ainda esperam voluntários na EMEF Esmeralda Duarte da Silva? É só entrar na página da escola no site e ver no que pode ajudar.

O Quero na Escola é para o estudante dizer o que mais gostaria de aprender na escola além do grade curricular. Os pedidos ficam a disposição de voluntários que podem querer compartilhar conhecimento sobre aquele assunto. Veja exemplos no site.

Especialistas em Recursos Humanos vão à escola falar de como procurar emprego

Especialista em ajudar empresas a potencializar sua seleção de pessoas, Denise Maia, atuou em outra ponta nesta semana. Como voluntária do Quero na Escola, foi a Escola Estadual Residencial Jardim Bambi, em Guarulhos, ensinar jovens a dar os primeiros passos rumo na busca de vagas.

O pedido, assim como outros de Orientação Vocacional e Profissões específicas, estão em alta no site. A Escola Estadual Residencial Jardim Bambi, foi inclusive a que estrelou a matéria sobre o projeto no programa Como Será?.

“O LinkedIn é uma ferramenta legal para eles, mas eles nunca tinham ouvido falar. Foi muito legal porque é um mundo novo, mostrei o perfil que criei para o meu sobrinho, da idade deles que nunca trabalhou e pesquisei algumas empresas de Guarulhos para eles verem como encontrar as vagas”, conta Denise, que é especialista na plataforma. Ela deixou um desafio: “vocês vão criar um perfil desse jeito que mostrei e se conectar com ao menos 10 pessoas, uma delas pode ser eu. Daqui um tempo eu volto aqui e podemos fazer algo mais mão na massa a partir disso”.

O Edgard Jardel, estudante do segundo ano do Ensino Médio, autor do pedido no site, já começou a cumprir o combinado: “Criei um cadastro, e pra minha surpresa já tenho algumas conexões. Explorei o app e achei muito interessante e útil, sem contar que achei muitos amigos e conhecidos meus que já utilizavam.”

19396844_1376915932397722_5880648788622999863_n
Voluntários com estudante Edgard Jardel, que fez o pedido para sua escola

Onde você se vê daqui a dois anos?

Além de falar do currículo, também foi abordada a questão da tão temida entrevista de emprego. Denise contou com a ajuda de seu amigo e advogado, José Barreto, para explicar o que espera o empregador nesse momento e mostrar algumas perguntas frequentes.

“Uma das meninas que assistia se destacou. Explicamos que os entrevistadores costumam perguntar: onde você se vê daqui a dois anos? E ela falou para o José: me vejo trabalhando na sua empresa! Depois da palestra ela até veio falar com a gente se tinha vaga de jovem aprendiz nas empresas em que trabalhamos. Foi muito bacana ver esse interesse e iniciativa!”.

E iniciativa não está faltando nesses jovens. Quando Denise perguntou quem já tinha feito entrevistas, alguns compartilharam e experiência de já estar trabalhando e outros, como Edgard, se mostraram interessados em vagas de Jovem Aprendiz, porém, ainda há dúvidas sobre o funcionamento de programas desse tipo. “Tenho procurado vagas no LinkedIn, até agora não achei nenhuma na minha cidade, mas tenho certeza que não vai demorar muito pra eu achar”, contou Edgard, que também disse ter ficado com diversas dúvidas após sua primeira entrevista para uma vaga desse tipo.

Fica então o chamado: os estudantes estão querendo saber mais sobre como funcionam os programas de Jovem Aprendiz. Trabalha em uma empresa que tem vagas desse tipo ou conhece alguém que entende tudo desse tema? É só se inscrever na página da escola lá no site.