Artista visual reflete sobre selfies e médico fala sobre a profissão em escola da zona leste de SP

Ao falarmos sobre fotografia logo pensamos nas famosas selfies, publicadas em peso todos os dias nas redes sociais. Foi pensando nisso que a artista visual Roberta Dabdab resolveu levantar a questão Selfie x Autorretrato na Escola Estadual Luciane do Espírito Santo, no bairro de Lageado, zona leste de São Paulo. Ela foi até lá a pedido da estudante Sandy, que sonha em ser fotógrafa e fundou um clube de fotografia na escola, para estimular a prática.

Roberta começou falando da força que a imagem e a comunicação têm na mão dos jovens e que, por isso, eles deveriam utilizar este potencial para produzir imagens com mais consciência. “Tirar uma selfie só por tirar chega a ser bobo”, disse. “Por que não produzir, ao invés disso, um autorretrato?”.

A diferença ela mostrou em seguida, exibindo diversas fotos produzidas por artistas que trabalham com enquadramentos, montagens, espelhos, manipulação em softwares, entre outras técnicas, para representar pessoas. Depois de mostrar as referências, deixou os estudantes livres para sair pela escola colocando as dicas em práticas e fazendo autorretratos.

“Sou do clube de fotografia, pretendo seguir essa carreira”, contou Gustavo Sales, que aproveitou o clima chuvoso para tirar fotos brincando com o reflexo da água no pátio da escola. Mas a palestra também foi interessante para quem não faz parte do clube: “Não pretendo ser fotógrafa, mas gosto muito de artes”, contou Giovana Sales, que quer ser arquiteta.

Para Sandy a atividade incentivou ainda mais seu sonho: “Sempre quis ser fotógrafa, sempre fotografei em casa, na igreja… é uma coisa que amo. Me expresso pela fotografia”, contou. O clube fundado pela estudante começou nesse semestre, mas já está rendendo frutos: “Quando vou ensinando o que já sei, também vou aprendendo, porque vou pesquisando sobre a tecnologia e a história da fotografia”.

WhatsApp Image 2017-08-22 at 20.17.08.jpeg
Foto tirada pelo estudante Gustavo Sales

E não foram só os estudantes que saíram da atividade motivados: “Sempre gosto de ser voluntária, sou dessas que acredita que se comunicando bem e expondo seu ponto de vista, você sempre faz a diferença”, contou Roberta. “Acho que trabalhar com os jovens é a única coisa que faz sentido na vida”.

Mais pedidos atendidos

Uma semana depois do pedido da Sandy ser atendido na escola, o voluntário Gabriel Domingues dos Santos foi até lá abordar um assunto bem diferente: a profissão e a faculdade de Medicina.

Gabriel contou sobre sua trajetória e tirou todas as dúvidas de Sara da Silva, aluna que fez o pedido e da turma, composta por estudantes que tem a área da Saúde em seus Projetos de Vida na escola. As questões foram, principalmente, acerca do vestibular: nota de corte, qual faculdade é mais ou menos concorrida, bolsas e horas de estudo necessárias para passar.

21105642_1440916312664350_3977903301264727202_n.jpg

“Além de tirar minhas dúvidas, todos interagiram muito e perguntaram coisas que eu não tinha pensado ainda”, contou Sara. “Desde o ano passado comecei a pensar em ser médica, principalmente na área de cirurgia, e isso me incentivou ainda mais”.

A programação na escola anda agitada. Um pedido de Jornalismo já tem dois voluntários inscritos, além de uma conversa sobre Protagonismo, em que estudantes e professores vão pensar sobre o Projeto de Vida que desenvolvem na nova dinâmica de ensino integral da escola. Veja se pode ajudar em outros pedidos da EE Luciane do Espírito Santo.

Se você é estudante e quer levar algo a mais para sua escola, peça!

Anúncios

Ação do Quero na Escola vira tema de jornal de grêmio em Guarulhos

Cada estudante se apropria e faz pedidos no Quero na Escola de acordo com o que pensa ser mais importante para sua escola no momento. Na Escola Estadual Hernani Furini, em Guarulhos (SP), Isabel Souza, integrante do grêmio, utilizou o site para iniciar um projeto de feira de profissões e chamar pessoas de diversas carreiras para conversar com os estudantes.

No primeiro semestre, eles conseguiram um voluntário administrador e uma médica pela plataforma. Em agosto, receberam a visita de um advogado especialista em Direito Trabalhista. Desta vez, em vez da gente contar como foi, compartilhamos a última edição do Jornal do Hernani, pautado pelo encontro:

Abaixo edição da gravação da palestra para mostrar aos estudantes que não puderam participar ou quiserem rever:

Além de profissões, essa escola já solicitou um bate-papo sobre aborto, que vai acontecer em setembro e os pedidos de temas variados não param de chegar.

Entre na página da EE Hernani Furini no Quero na Escola para ver todos os pedidos e ver no que poderia ajudar.

Quer fazer um pedido para sua escola também? Quero na Escola

 

Pedido no Quero na Escola vira dia de palestras no teatro municipal de Severínia

Mais de duzentos estudantes, professores e moradores de Severínia, no interior de São Paulo, lotaram o Teatro Municipal da cidade para assistir a três palestras sobre carreiras profissionais no dia 28 de junho. O ponto de partida para o evento foi a inscrição do estudante de Medicina Veterinária da Unesp, Caio Gonçales, ao pedido de um aluno no Quero na Escola.

O voluntário que mora em Rio Preto se sensibilizou porque, além de Severínia ser sua cidade natal para onde ainda costuma voltar nos fins de semana, ele mesmo estudou na Escola Municipal Esmeralda Duarte da Silva durante o ensino fundamental. Quando soube da coincidência, a professora de Artes, Graziele Chianpesan, pensou em chamar outros profissionais que estudaram lá para compartilhar sobre suas profissões. Conseguiu reforço de um profissional de tecnologia da informação e de um procurador de justiça.

O evento foi crescendo e precisou de um espaço maior. Veio a ideia do Teatro. “A diretora nem acreditava que os estudantes iriam sendo fora da escola!”, conta a professora, feliz com o sucesso do evento.

19620498_1904001699858186_3145375563142803826_o.jpg
Teatro Municipal de Severínia lotado para assistir às palestras

A estudante Karoline Cardoso, que assistiu às três palestras, conta ter ficado surpresa com as possibilidades da Medicina Veterinária e se sentiu inspirada após as apresentações:

“Achei importante o fato dos palestrantes terem comentado além de suas carreiras profissionais, alguns fatos de suas vidas pessoais, como ter conseguido alcançar uma boa profissão, tendo estudado em escola pública, o que muita gente acredita que seja impossível”.

Caio conta que viveu diferentes emoções no palco. “Não sei descrever a experiência que tive, um orgulho de voltar ao lugar que ajudou a construir o cidadão que sou hoje, poder passar para os alunos o que aprendi na universidade, mostrar para eles as inúmeras áreas que o médico veterinário pode atuar”. Ele tirou dúvidas em relação as disciplinas da faculdade e falou sobre bem estar animal e como lidar com os bichos. “Foi tudo muito gratificante!”.

Quer ver os outros pedidos que ainda esperam voluntários na EMEF Esmeralda Duarte da Silva? É só entrar na página da escola no site e ver no que pode ajudar.

O Quero na Escola é para o estudante dizer o que mais gostaria de aprender na escola além do grade curricular. Os pedidos ficam a disposição de voluntários que podem querer compartilhar conhecimento sobre aquele assunto. Veja exemplos no site.