A pedidos de educadores, quatro escolas de dois estados recebem ações de Contação de Histórias

O ser humano é um ser narrativo e cria histórias desde o início da humanidade, tanto para entender o mundo, quanto para compartilhá-lo. Na busca por este mecanismo de união e trocas de experiências, tocando o imaginário dos participantes, a Contação de Histórias está sempre entre os pedidos dos educadores no Quero na Escola Especial Professor. Este ano o tema já rendeu cinco atividades. 

Em Valinhos, interior de São Paulo, a escola municipal Luiz Antoniazzi contou com a presença da voluntária Elaine de Oliveira, contadora de histórias e participante do grupo de contadores de histórias de Campinas, a pedido da professora Nádia Maria. Elaine realizou uma oficina de Contação de Histórias para 15 educadores, sobre os diferentes modos de se contar histórias. “Pra mim, foi uma experiência inovadora, única. Obrigada por atenderem ao meu pedido”, relatou a professora Nádia. 

Já em São Paulo (SP) tivemos duas escolas contempladas com Contação de Histórias. Na CEI João Carlos Fairbanks o Quero na Escola conseguiu duas voluntárias bem diferentes para atender o pedido da professora Roberta da Silva. A primeira foi Jeniffer Fernandes que leu e interpretou para 30 crianças e 2 educadores. “Os alunos interagiram, contaram as histórias, foi uma farra, muito divertido”, contou a estudante de turismo. Ela estudou toda a vida em escola pública e compreende a importância que uma ação como esta pode ter na mudança do ambiente escolar. “Sou apaixonada por aprender e ensinar e pretendo seguir minha carreira acadêmica e ser professora”. 

A segunda atividade foi conduzida pela voluntária Eliana Toscano, que participa do Quero na Escola desde 2016 e sempre conquista a audiência. Como eram crianças pequenas, ela recorreu a sua personagem palhaça, com traje e maquiagem completa. “As crianças precisam muito de momentos assim”, agradeceu Roberta. 

Na escola estadual Adalgiza Segurado da Silveira, também na capital paulista, o pedido foi feito pela professora Samira Cunha e mais uma vez Jeniffer Fernandes se envolveu, desta vez com uma sequência de duas turmas diferentes do 1ª ano do Ensino Fundamental. Além das leituras, a voluntária pode passar o livro de contos para que as próprias crianças lessem. Samira contou que as crianças “amaram a atividade”. 

Em Almirante Tamandaré, no Paraná, tivemos Contação de História no Centro Municipal de Educação Integral Branca de Neve. Quem ministrou esta atividade para 27 crianças foi uma parceira que até hoje mantém contato com escolas que atendeu pelo projeto em 2017, Lilian Ribeiro de Camargo, do Projeto Linhas. No ano passado, ela viajou de avião para realizar uma ação do Quero na Escola Especial Professor em Minas Gerais.

O pedido deste ano foi feito pela professora Juliana Segantini e Lilian contou uma história de criação própria do seu primeiro livro do Projeto Linhas: O Fio da Meada-Volume I, da série Tecendo Linhas. E para que o ambiente lúdico pudesse florescer ainda mais ela criou junto das crianças a Árvore de Livros e deixou na escola a boneca Lilinha e o “lápis mágico” para que cada um pudesse contribuir para tecer as linhas da história.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuem acompanhando a entrega dos nossos presentes aos professores que ainda tem mais histórias para serem contadas! 

*O Especial Professor é uma parceria entre o Quero na Escola e a Fundação SM*

 

3 comentários em “A pedidos de educadores, quatro escolas de dois estados recebem ações de Contação de Histórias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s