Voluntário de xadrez fala das regras e da filosofia do jogo

A diretora Sheila Monteiro Ferreira queria ajuda para que seus alunos aprendessem xadrez e recorreu ao Quero na Escola Especial Professor – nossa parceria com a Fundação SM para dar presença no mês dos professores – para convidar alguém a ensinar na Escola Estadual Louis Braille, em Guarulhos. Ela e o professor de matemática, Phellipe Guimarães Santos, pensavam em começar um campeonato para aumentar a concentração dos alunos. Deu certo, os jovens se concentraram, mas também refletiram sobre filosofia política.

O voluntário, Celso Francisco, se voluntariou para ajudar porque conhece muito as regras do jogo, levou livros e ensinou as regras, mas ele também é professor de Filosofia e acabou falando da representatividade no tabuleiro. “Tem o poder absoluto do rei, a ambição da rainha, o poder eclesiástico do clero na figura dos bispos, a força da cavalaria, a fortaleza das torres, e a plebe, representada pelos peões, que vão para morrer na frente”, comenta. A diretora aprovou. “Os alunos gostaram muito, interagiram bastante e saíram jogando.” Assista: