Atividades em resposta a pedidos de professores batem recorde

O número de professores dispostos a criar espaços de colaboração em suas escolas e de pessoas interessadas em participar da educação pública cresceu muito no Quero na Escola Especial Professor, nosso projeto em parceria com a Fundação SM. A pedido dos educadores, foram realizadas 48 atividades em 38 escolas, de 18 cidades, de seis Estados do Brasil. Houve formação tanto para os mestres quanto para seus alunos, palestras, apresentações culturais, aprendizados e intervenções artísticas.

Depoimento de professora de São Bernardo do Campo

Participaram 382 professores e 3.342 estudantes em atividades promovidas por 61 voluntários. A cidade de São Paulo foi a mais movimentada com ações em 14 escolas. Ainda em São Paulo houve atividade em Mogi das Cruzes, Guarulhos, Osasco, Jundiaí, Diadema, Hortolândia, São Bernardo do Campo, Cotia, Santo André e Serra Negra.

Minas Gerais recebeu atividades em Esmeraldas e Bom Sucesso (que recebeu voluntárias vindas do Paraná, conforme a gente contou aqui). No Rio de Janeiro, teve uma atividade motivacional em Magé e duas diferentes para o tema “uso da ciência para redução das desigualidades”, em Nova Iguaçu.

Retorno da voluntária em Magé

No Nordeste a participação foi em Salvador, Bahia, com uma aula sobre Cyberbullying, para estudantes. No Norte, em Belém do Pará, uma voluntária atendeu a professora que queria uma oficina de produção audiovisual para seus alunos. No Centro-Oeste, em Goiânia, Goiás, uma psicóloga foi ensinar técnicas de relaxamento ao grupo de professores.

“O mais forte do Quero na Escola Especial Professor é o respeito ao trabalho da escola e os laços criados com diferentes setores da sociedade civil. Fortalecer e respeitar são palavras mágicas dentro da escola e o Quero na Escola pratica o tempo inteiro”, comenta a Diretora da Fundação SM, Pilar Lacerda.

Esta foi a terceira edição do programa em que os educadores dizem que pessoa gostariam de receber na escola para colaborar com um projeto ou ensinar algo aos professores ou aos alunos. No primeiro ano, em 2016, foram realizadas 13 atividades e, no ano passado, 27.

Mais detalhes e fotos das primeiras atividades podem ser conferidos aqui e aqui. Outro texto fala de uma das ações sobre Comunicação Não Violenta e um sobre valorização da cultura afrodescendente em duas atividades diferentes em Guarulhos.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s