Advogado dá palestra sobre Política e Psicanálise ao atender pedido do Quero na Escola em Curitiba

Em fevereiro deste ano, o advogado Alexandre de Salles Gonçalves nos enviou um email: “O que os alunos querem na escola aqui em Curitiba eu não posso oferecer (Yoga, programação e fotografia). Mas gostaria de me voluntariar para colaborar da forma como for possível. Minhas áreas de interesse seriam em palestras/cursos sobre noções de direito, contratos, direito do consumidor, direito de família, direito constitucional, direitos humanos, filosofia e psicanálise”.

Em julho, a estudante Ana Paula de Carvalho, que já tinha sido atendida com duas palestras sobre Fotografia (veja aqui e aqui) pediu um debate sobre Política. O Alexandre se inscreveu para atender, mas tivemos que esperar as férias escolares e a licença do diretor Dario, nosso parceiro na organização das atividades do Quero na Escola, acabarem. Em setembro começamos a organizar o evento, mas, como já estávamos muito perto das eleições municipais, a gestão da escola achou melhor esperar o momento passar.

E assim, em novembro, o Alexandre visitou a escola para falar sobre Política e a realação com a Psicanálise. Membro da Associação Psicanalítica de Curitiba e advogado há 15 anos, Alexandre estuda o tema há três anos e mostrou como a política permeia a vida dos estudantes. “Comecei a abordagem falando sobre a origem da palavra na Grécia e mostrando que o cidadão é um sujeito político. Introduzi um pouco sobre a psicanalise dizendo que o que comanda a vontade do sujeito dentro da pólis e as relações dele são reflexo das relações que ele tem com o seu interior. O dentro é formado pelo inconsciente, que comanda a nossa razão, e a razão é usada para justificar o nosso desejo”, contou Alexandre.

Para Ana Paula, a palestra mostrou como a política está relacionada à vida dos estudantes. “Ele falou sobre as ocupações e mostrou que a política se estende até nas simples ações”, resumiu a aluna que se forma este ano e teve seus pedidos atendidos cinco vezes pelo Quero na Escola este ano.

Alexandre lembrou os estudantes que o orçamento da escola pública é público e que eles poderiam usar a internet para acompanhar e conseguir verba para melhorias e projetos do interesse deles. “Me preocupei em fazer acender algumas luzes, fazer eles se questionarem”, disse.

 

Alunos começam a programar após duas horas com voluntário

Uma página em html, com tabela, formulário, cor e uma foto escolhida por cada aluno. Este foi o produto de uma oficina de programação de duas horas no Colégio Estadual Maria Teixeira Aguiar, em Curitiba. A atividade foi proposta por Felipe Fortes, depois do pedido da estudante Ana Paula de Carvalho no Quero na Escola.

“Foi bem legal, foi um método que mesmo quem não soubesse nada, conseguia”, comentou Arthur Abreu, que cursa o segundo ano do Ensino Médio e achou “uau”, um profissional de fora da escola participar. “Ele foi super prático, todos se interessaram, fizeram junto e deu certo”, comentou o estudante.

programacao
Cartaz produzido pelos alunos avisando da atividade

A oficina ocorreu na sexta-feira passada à tarde e foi para os alunos que estudam em outros períodos.

O voluntário que conhecia a escola só de passar em frente, achou a unidade organizada e os alunos interessados. “Tudo que eu pedi, projetor, caixa de som, arrumaram rápido e os alunos respeitaram bastante”, contou. Apesar dos elogios, aluno e professor comentaram que faltou internet em alguns computadores.

A atividade de duas horas começou com explicação do que é um programador e um programa em uma aula expositiva de meia hora e depois passou a parte prática. “Alguns já sabiam pra que servia, como é criado e linguagem de programação. Para mim foi bom saber que o pessoal do Ensino Médio já consegue montar um site”, comentou Fortes.

O diretor da escola, Dario Ivatiuk, convidou Felipe a voltar outras vezes. “É muito bom ter esta parceria com pessoas de fora, que trazem um olhar de profissional. Os alunos se interessam muito, vale a pena”, disse. Esta é a terceira vez que o Colégio Maria Aguiar recebe voluntários. Os dois primeiros foram fotógrafos.

Estudantes de qualquer escola pública pode se cadastrar no Quero na Escola e dizer o que gostariam de aprender além do currículo da escola.

 

Veja tudo que já ocorreu aqui em Notícias do Quero na Escola.

Depoimento de aluna que recebeu segundo voluntário de fotografia em Curitiba

A Ana Paula de Carvalho, estudante do Colégio Maria Aguiar, em Curitiba, teve seu pedido por aula de fotografia atendido pela segunda vez na última quinta-feira. Da primeira, o documentarista Marcio Pimenta falou de fotojornalismo e desta vez Nuno Papp, especializado em Moda e Publicidade atendeu a solicitação feita no Quero na Escola.

Ana nos envia relatos tão legais que, desta vez, a gente só vai passar a palavra para ela. Olha só:

foto_curitiba2.jpg“Foi muito bacana!!! No início, o Nuno mostrou para gente cada detalhe de uma foto: como é feita, a seleção do casting de uma agência de modelos, todo o processo de montagem de uma fotografia destinada ao marketing de uma organização e até valores (o que gera muita curiosidade em nós, leigos).

Enquanto ele falava, o assistente dele passava as fotos feitas pelo Nuno e sua equipe, no slideshow. Realmente são muito bem produzidas; isso fez com que nós valorizássemos ainda mais a palestra. As pessoas interagiam, faziam perguntas a ele.

Mas acredito que o mais legal ele deixou para o final! Em determinado momento ele convidou uma aluna a ser fotografada por ele para nos ensinar a importância da luminosidade na fotografia. Foi bem bacana. A Caroline (aluna escolhida) subiu até o palco do auditório e então ele tirou umas cinco fotos dela.

Eu fui conversar com ele no início da apresentação, junto ao professor Mário e acredito que ainda iremos ver o Nuno algumas vezes na escola.

foto_curitiba3Eu espero muito que ele tenha se sentido bem recebido por nós, porque foi bem proveitosa a palestra. No final, alguns alunos esperaram para tirar suas dúvidas, e acredito que é nesse momento (quando acaba a palestra) que realmente se vê a qualidade do que foi apresentado: quando existem pessoas que se interessaram pelo que você disse e guardam o momento ideal para compartilhar suas dúvidas ou ideias com o palestrante.

A imagem que nós fizemos do voluntário foi a de um homem sofisticado, profissionalíssimo e caridoso, que dedicou um tempinho da agenda pra inspirar muita gente! Eu realmente espero que ele volte mais vezes!!

Valeu mais uma vez, pessoal!! É muito legal estar envolvida no projeto.Que venham as próximas :)”

O Quero na Escola dá voz a estudantes que gostariam de aprender algo além do currículo. Clique aqui para cadastrar um pedido ou aqui para se voluntariar para atender a uma escola.