Projeto em que professores têm atendimento emocional está de volta

O Quero na Escola e a Fundação SM relançam nesta quinta-feira o projeto Apoio Emocional que busca profissionais de saúde mental para atendimento gratuito a educadores de escolas públicas em todo Brasil. No ano 2 da epidemia de Covid-19 no Brasil, as professoras e professores seguem enfrentando incertezas, improvisos, medos e um número crescente de lutos.  

Para ajudá-los a lidar com suas angústias e orientá-los na acolhida aos estudantes, o projeto Apoio Emocional oferece aos professores as opções de escuta individual, rodas de conversa entre colegas ou com seus alunos e formação sobre como lidar com determinados problemas psicológicos. Todos os atendimentos serão virtuais, organizados pela equipe do Quero na Escola e com uso das plataformas que os profissionais voluntários e professores preferirem. 

A primeira edição atendeu 2 mil professores em 2020. Veja no vídeo abaixo depoimento de uma professora atendida e de uma psicóloga voluntária.

Nesta segunda edição o foco será nos traumas causados pelo prolongamento da pandemia e em como lidar com os próprios lutos e os dos estudantes. 

“Temos muito orgulho em apoiar um projeto que se mostrou tão necessário no ano passado, mobilizando tantos psicólogos e terapeutas, atingindo a tantos professores. Este ano, com o desafio de reabertura presencial das escolas em plena pandemia, acreditamos que a escuta de suas angústias e o acolhimento são fundamentais para dar o suporte emocional que os educadores necessitam”, afirma Mariana Franco, gerente da Fundação SM.

Para se cadastrar, tanto os educadores como os voluntários devem acessar queronaescola.com.br/apoioemocional

Se liga na dica, estudante: vem ver as oportunidades neste mês de abril

Que têm sido dias desafiadores, nós já sabemos. Mas já pensou em se desafiar positivamente participando de uma olimpíada, aprimorar os estudos ou ser bolsista de um projeto? Neste mês de abril, o Quero na Escola separou várias destas oportunidades no Se liga na dica, estudante! Vem ver aqui: 

Olimpíada Brasileira de Robótica 2021

Para estudantes de todo o Brasil, estão abertas as inscrições para a Olimpíada Brasileira de Robótica deste ano. São alunos de escolas públicas e particulares a partir dos seis até dezenove anos de idade que podem participar. Para realizar a inscrição e saber mais, clique aqui. Anota aí, estudante: inscrições até 19 de maio

Plataforma Fixe seleciona jovens curadores bolsistas da periferia de São Paulo

Você é da periferia de São Paulo? Então, essa oportunidade é para você! 

A nova plataforma multilinguagem FIXE (lê-se “fiche”, gíria portuguesa que significa legal, com estilo e boas qualidades) anuncia chamamento de jovens curadores bolsistas da periferia de São Paulo. Eles vão selecionar seis jovens colaboradores para desenvolver um trabalho de pesquisa e curadoria artística. Cada jovem curador selecionado receberá uma bolsa no valor R $1.000,00 (mil reais). As inscrições podem vão até 18 de abril no site da Fixe (www.festivalfixe.com.br). Para poder fazer parte, confira os requisitos no site. O resultado da seleção sai em 20 de abril de 2021. Tenta!

Projeto Clínica de Direitos Humanos das Mulheres (USP) 

Este projeto está com inscrições abertas para a seleção de estudantes do Ensino Médio Público, Ensino Técnico e EJA (Educação de Jovens e Adultos) da cidade de São Paulo e de Ribeirão Preto. Será para produzir vídeos educativos voltados aos problemas e ideias das mulheres sobre direitos humanos. 

Se você é mulher, estudante do Ensino Médio Público, Técnico ou do EJA, você poderá se inscrever e fazer parte. Serão disponibilizadas 5 bolsas no valor de R$350,00 pelo período de 10 meses. Gostou? Para ter maiores informações, confira o edital aqui e o link para inscrição aqui. Não perca, as inscrições vão até 30 de abril. 

Dicas de podcast sobre educação para estudantes!

1.PodAprender

PodAprender é um podcast que aborda temas relacionados à Educação e traz sempre convidados diferentes, com vasta experiência, que inspiram e trazem dicas e reflexões aos colegas professores. Pode ser conferido no Spotify ou no Deezer.

2. E por falar em educação

Este programa tem como objetivo colocar a Educação no centro do debate, apresentando diversos argumentos e diferentes visões para que os ouvintes formem sua opinião de maneira crítica. 

Também no Spotify e no Deezer

3. Resumov

No Resumov você poderá conferir dicas para estudar para o vestibular e tirar uma boa nota no Enem. Vem ouvir aqui

++ MAIS OPORTUNIDADES!

Achou que tinha acabado? Temos mais para você, estudante. Se você quer ganhar o livro “21 histórias de estudantes que mudaram a escola“, inscreva-se neste formulário aqui. Ao longo do ano vamos doar 120 livros e a ordem de inscrição é um dos critérios.

E, claro, também estamos recebendo pedidos de estudantes de escolas públicas em nosso site. Quer aprender algo novo ou lidar com temas que têm dificuldade? Vem pedir aqui com a gente! 

Estudantes de cinco estados já foram atendidos no Ponto Extra

Após entender as necessidades dos alunos, este ano o Quero na Escola começou uma nova modalidade de apoio: o Ponto Extra. Os estudantes de escolas públicas de diferentes localidades entram em nosso site e pedem uma ajuda com os estudos ou um apoio na carreira que gostariam de seguir. Buscamos um “ponto extra” que faça encontros online frequentes com estes estudantes e possa ajudar e se tornar mais uma pessoa acessível ao estudante.

Diante dos pedidos, a equipe do Quero na Escola entra em contato com educadores das escolas e faz a conexão para que as ações aconteçam no formato online em plataformas escolhidas pelos participantes envolvidos. Temos a alegria de contar que vários estudantes já estão sendo atendidos semanalmente!    

Neste início de projeto, já temos 05 estados que foram atendidos: Goiás, São Paulo, Rio Grande do Norte, Rondônia e Bahia. A temática que mais apareceu foi Exatas e em seguida, Redação e Acompanhamento e orientação profissional.         

Também é possível pedir qualquer tema além do obrigatório e estão ocorrendo encontros sobre Escolas literárias com alunos de uma escola de São Paulo. 

Você, aluno, já pensou em ser atendido(a) também? Ou então, tem facilidade em alguma área e pode ajudar se voluntariando? Para participar, acesse nosso site.

Campanha por livro sobre estudantes transformadores termina com sucesso

O livro “21 Histórias de estudantes que mudaram a escola” será impresso em abril com o apoio de mais de 300 pessoas e instituições que acompanham o Quero na Escola. A obra é uma coleção de casos reais de estudantes que mudaram suas escolas ou mesmo todo o sistema de ensino no Brasil e no mundo. O objetivo é dar representatividade aos estudantes que querem mudar algo em seus cotidianos escolares.

A primeira edição da obra conta com patrocínio do Instituto Olga Kos e do Instituto Unibanco. As autoras, Cinthia Rodrigues e Luciana Alvarez, ambas jornalistas e cocriadoras do Quero na Escola, doaram seu trabalho nesta primeira edição e todo o valor arrecadado com a campanha de financiamento coletivo será revertido para a Associação Quero na Escola. Além disso, todos os doadores receberão ao menos um exemplar do livro.

Também serão doados 120 exemplares para escolas, professores e estudantes interessados. Quem quiser estar entre os beneficiados pode se cadastrar neste formulário. O envio estará disponível ainda em abril caso um educador ou educadora já queira usar o livro. Um dos critérios de seleção será a ordem de inscrição.

Cada história de “21 Histórias de estudantes que mudaram a escola” conta a transformação que o estudante conseguiu, qual era o problema com que lidava e quais resultados obteve. Os textos são pensados para adolescentes a partir de 12 anos. Cada capítulo é acompanhados de uma ilustração exclusiva que destaca os protagonistas e de mais informações sobre o tema que moveu aqueles estudantes.

Durante a campanha, algumas matérias sobre o livro foram publicadas:

A Associação Quero na Escola agradece a cada um dos apoiadores – que em breve terão também seus nomes em agradecimento publicado aqui – e a todos os parceiros. Vivemos tempos especialmente difíceis e contar com a ajuda desta rede é fundamental para seguirmos com nosso trabalho.