Estudantes querem aprender a fazer horta e usá-la na merenda

Os estudantes que querem aprender a fazer uma horta dentro da escola em São Carlos, interior de São Paulo, enviaram um vídeo com o espaço que gostariam de cultivar naEscola Estadual Arlindo Bittencourt..

A vontade dos alunos de usar o espaço para aprender a lidar com a terra é apoiada pela direção da escola. A gestão passou a fazer compras diretas para a merenda este ano e acredita que o projeto pode, inclusive, se ampliar para educação alimentar.

Quem quiser se cadastrar para ajudar os estudantes pode se inscrever como voluntário aqui.

Estudante quer levar palestra sobre empreendedorismo para sua escola

No início da semana publicamos um pedido sobre empreendedorismo de uma estudante de Guarulhos. Possíveis voluntários acharam o termo “empreendedorismo em tecnologias educacionais” difícil de entender. Pedimos a autora, Hilmara Fernandes, que explicasse e é bem mais simples: na verdade ela quer falar do impacto social em geral que o empreendedorismo pode causar e conhecer pessoas que estão neste caminho. Assistam:

Se você pode colaborar com a educação pública atendendo a este pedido, CADASTRE-SE AQUI e vamos promover um encontro na escola.

O Quero na Escola recebe pedidos de alunos que gostariam de aprender algo além do grade curricular na sua escola.

Novas histórias escritas coletivamente

Mais histórias, mais uma voluntária envolvida com a educação pública, mais alunos se sentindo prestigiados e encantados com o poder da literatura. Esse foi o saldo da primeira oficina de contação de história de 2016 promovida pelo Quero na Escola na Escola Estadual José Cândido de Souza.

Na tarde desta quarta-feira, Thais Giubelli foi até o colégio e adorou a experiência. “Foi muito bacana. Eles acompanharam tudo, prestaram atenção, umas graças.”

Com os professores apoiando a ideia, a atividade lúdica acabou sendo incluída no currículo que se trabalha no dia a dia. “A professora avisou que iria passar uma atividade em sala de aula relacionada as histórias que contei”, disse Thais, mais um exemplo de como a conexão entre sociedade e escolas pode promover a construção de aprendizados de maneira significativa.

No ano passado, três voluntárias contaram histórias na mesma escola. Esta semana, outra aluna da mesma unidade fez um pedido diferente: acrobacia em tecido.

O Quero na Escola recebe pedidos de estudantes de escolas públicas de qualquer parte do País sobre o que gostariam de aprender além do currículo obrigatório. Quem quiser ajudar, basta escolher um assunto solicitado e se cadastrar.

Meditação em uma escola pública de São Carlos

Quem diria que uma aluna gostaria de aprender a silenciar dentro de uma sala de aula em um domingo de sol? “Nunca tinha meditado, era como eu imaginava, mas mais gostoso”, contou Rebeca Pires, 17 anos, estudante da Escola Estadual Arlindo Bittencourt, em São Carlos, interior de São Paulo.

Ela se cadastrou no Quero na Escola em março com dois pedidos, auxílio para fazer uma horta – ainda em aberto – e oficina de meditação. A designer Carla de Franco, que buscava uma oportunidade de colaborar voluntariamente com uma causa que a motive desde o ano passado, topou viajar de São Paulo ao interior para ajudar.

“Medito há quatro anos, Fui atrás de amigos professores, montei um esquema básico, levei computador com músicas e propus exercícios de respiração e silêncio”, explica. Além de Rebeca, uma outra aluna e uma estagiária de Pedagogia que estavam na escola aberta aos domingos participaram da atividade.

Qualquer estudante de escola pública pode entrar no Quero na Escola e dizer o que gostaria de aprender além do currículo obrigatório. Quem quiser colaborar de forma direta com o enriquecimento do currículo da escola pública, pode visualizar os pedidos e oferecer ajuda.