Jovem leva aula de Breaking para escola onde estudou em Itapevi

Veja como essa atividade na Escola Estadual Maria Soares, em Itapevi, foi especial: Quando a Ellen Silva solicitou uma atividade de Dança no Quero na Escola, ela não sabia que seria a primeira aluna do País a ter seu pedido atendido nesse tema! A estudante, inclusive, nem especificou o que gostaria de aprender, mas foi atendida por alguém que domina justamente o estilo pelo qual tinha mais interesse: o Breaking.

IMG_8152
Yuri contando um pouco de sua história antes de começar a aula

O voluntário Yuri Paschoal –  ou Sensui Bboy, como é conhecido no meio artístico – é ex-aluno da escola e dançarino de breaking desde 2012. Ele também dá aulas da modalidade em um projeto gratuito à comunidade, promovido pela Prefeitura de Itapevi.

“Meu primeiro contato com a dança foi aos oito anos, vendo parentes dançando variados estilos em reuniões de família. Depois disso fui vendo na TV, internet etc.”, conta. “Fui me interessando pela dança em geral. Com o tempo, fui conhecendo mais o hip hop e suas danças urbanas. Fui treinando popping, hip-hop freestyle e breaking durante minha infância e pré-adolescência, levando como uma brincadeira entre amigos.”

Pelo jeito essa é uma prática comum na região: logo no começo da atividade, os alunos já apontaram quem eram as dançarinas e os dançarinos da turma do nono ano. Giovana, por exemplo, dança desde os seis anos, já ganhou o campeonato da escola e não tem um estilo específico – domina alguns, mas gosta de dançar todos. Já a Melissa dança free-step há quatro anos, mas ficou acanhada de dar uma palhinha para o pessoal durante a atividade.

Toda a turma acompanhou a demonstração e quinze estudantes mais desinibidos toparam participar da aula. Yuri ensinou alguns passos básicos e foi formando uma coreografia com o grupo. No final, eles já estavam fazendo grande parte sozinhos.

Mais do que uma aula de dança, Yuri mostrou ser possível fazer carreira dentro dessa área: “Com 15 anos eu já tinha uma ideia melhor sobre a dança, escolhi o breaking como minha dança principal e levo ela até hoje como trabalho. Tenho um projeto com amigos  em Itapevi, chamado Wu-gang’z Project, e o United Soul Dance, um grupo de street dance da nossa região, em que passamos informação sobre o hip hop e suas danças urbanas.”

A Ellen, assim como outros estudantes mais interessados pela dança, pegaram o contato de Yuri para frequentar suas aulas e sugeriram que a atividade volte a acontecer aos sábados. A escola também está recebendo aulas de Educação Financeira no perídoo da noite e aguarda inscrições para diversos outros pedidos, que você pode ver em sua página do Quero na Escola.

E essa atividade tão cheia de novidades já resultou em outro pedido, da cidade vizinha, Barueri, por aulas de Breaking. Pode ajudar? Só se inscrever aqui.

Anúncios