Quero na Escola completa dois anos com recordes

Neste dia 24 de agosto, o Quero na Escola completa dois anos no ar. Por uma feliz coincidência, será nosso mês com maior número de atividades realizadas e de alunos atendidos: fecharemos agosto com 18 visitas de voluntários a escolas públicas em seis estados diferentes, promovendo atividades solicitadas por alunos e que atenderão diretamente a mais de 900 estudantes. Comemoramos muito cada um destes encontros, mas também aproveitamos este aniversário para relembrar que temos outros objetivos no percurso. São seis objetivos, veja com qual deles você se identifica:

As oficinas deste mês foram sobre fotografia, fanzine e confeitaria e as palestras sobre ginecologia, enfermagem, aborto, política, direitos trabalhistas, identidade de gênero, depressão, etnia e discriminação e gravidez na adolescência. Nomear estes assuntos, assim como dezenas de outros registrados ao longo destes dois anos, faz parte do nosso primeiro objetivo: fortalecer a escuta e participação do jovem em sua própria formação escolar. Antes mesmo do pedido ser atendido, só o fato de refletir sobre o que faria com sua formação e se expressar é um passo que consideramos importante.

E temos comprovado que não estamos sozinhos na valorização do que solicitam os estudantes. Os desejos dos jovens mostraram-se fortes o suficiente para atrair milhares de pessoas para acompanhar nossas ações e centenas para saírem de suas rotinas e voluntariamente irem às escolas atender a estes pedidos. Este é nosso segundo objetivo: dar à sociedade um caminho claro de participação na educação pública. Algo que muita gente quer, mas poucos sabem por onde começar.

Pouco a pouco vamos chegando ao nosso terceiro objetivo: oferecer às escolas parceiros do entorno. Muitos gestores, desacostumados a receber ajuda nas necessidades da escola, acham que não há parceiros à disposição e deixam de tentar levar projetos adiante. Ao perceber o interesse dos voluntários, alguns começam a convidá-los a participar, como a coordenadora da escola que recebeu a palestra sobre depressão no começo deste mês e solicitou à voluntária que voltasse para falar com outras quatro turmas. Os novos encontros estão agendados para sexta-feira (25).

Algo parecido ocorre com os próprios estudantes. A jornalista Marcelle Souza, que falou sobre aborto, tema do seu doutorado, recebeu uma mensagem de aluno no e-mail quando chegou em sua casa. Começa aí uma nova rede de relacionamento, com enorme potencial. Pesquisas de instituições como a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) apontam que a principal diferença no desempenho de jovens de escolas públicas e privadas está no contexto sócio-econômico, que inclui acesso à cultura e rede de contatos. Por isso, promover a integração entre alunos e diferentes setores da sociedade é nosso quarto objetivo.

Enquanto tudo isso acontece ao mesmo tempo, estamos colecionando alguns números. Com mais de 300 escolas com pedidos e mais de 170 cidades cadastradas, começamos a ter insumos para nosso quinto objetivo: reunir informações sobre os jovens e as escolas públicas. Aos poucos queremos mostrar melhor quais são as escolas existentes, com suas deficiências e pontos fortes, mas também quais são as escolas que os jovens querem.

O último objetivo é contribuir para o aprendizado dos assuntos solicitados pelos estudantes, a camada mais visível do projeto, a cereja no nosso bolo de aniversário. E aí? Alguma destas metas é importante para você? Conta pra gente qual delas.    

Quer fazer um pedido? queronaescola.com.br

Quer ver os pedidos existentes? queronaescola.com.br/pedidos

Você também pode se associar ao Quero na Escola

 

Anúncios