Pesquisa: como você fica com a reforma do Ensino Médio?

O Quero na Escola lança nesta quinta-feira uma pesquisa entre estudantes sobre como vão lidar com a Reforma do Ensino Médio. A intenção é fazer com que os adolescentes, principais envolvidos no assunto, conheçam um pouco das mudanças estabelecidas, reflitam sobre o impacto delas em suas vidas e sejam mais ouvidos nos debates sobre o assunto.

O questionário simples quer saber principalmente se o estudante escolheria apenas uma das cinco áreas propostas, se o jovem se sente preparado para escolher nesta fase da vida e como lidará com o fato de que sua escola talvez não ofereça a opção mais desejada. A Reforma do Ensino Médio colocada inicialmente como Medida Provisória, no final de 2016, foi aprovada pelo Senado e sancionada por Michel Temer em fevereiro deste ano. A partir de 2018, os governos estaduais, responsáveis pelo Ensino Médio, devem começar a adaptar os currículos e as unidades escolares.

Estudantes, respondam a pesquisa, leva menos de 2 minutos:

RESPONDER

Anúncios

Para 92% de estudantes ouvidos, Escola Sem Partido afeta vida muito ou totalmente

Quero na Escola aplicou uma pesquisa online para saber a opinião de estudantes sobre cada item do polêmico projeto Escola Sem Partido, que tramita no Congresso Nacional e em diferentes governos estaduais. Ao todo, 82% se disseram contra a proposta e 92% responderam que a mudança afetaria sua vida “muito” ou “totalmente”.

escola-sem-partido-1

Como o objetivo do Quero na Escola é ampliar a voz dos alunos em debates que afetam o cotidiano escolar, perguntamos também se eles gostariam de dar entrevistas sobre este assunto: dos 107 que responderam à pesquisa, 33 se disponibilizaram e deixaram os contatos para interessados.

Entre os pesquisados, 88% disseram que já haviam ouvido falar no Escola Sem Partido. Para ajudá-los a conhecer melhor a proposta, cada pergunta trazia itens do texto em análise na Câmara dos Deputados.

Os estudantes são especialmente contra o item que limita a atuação dos próprios alunos em relação aos temas de que trata a projeto. O trecho “não permitirá que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de estudantes ou terceiros, dentro da sala de aula”, foi considerado errado por 95% dos que responderam.

escola-sem-partido-2Para 90% também está errado o artigo que impõe que a escola “respeitará o direito dos pais dos alunos a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com as suas próprias convicções”. Os estudantes definitivamente querem ter outras influências além dos pais e reforçam isso quando o mesmo item aparece entre os princípios do projeto e tem aprovação de apenas 11%.

Os alunos defendem ainda que os professores devem ter opinião sobre os assuntos sobre o qual ensinam (89%) e dizem que quando os educadores dividem suas opiniões e experiências isso ajuda na aula (84%). Outro item que teve maioria contrária foi a proposta de que a escola não fale sobre gênero. Para 76% o projeto está errado, ou seja, o assunto deveria ser abordado dentro da escola.

Em outros itens listados como preceitos do projeto, “liberdade de aprender e ensinar”, “pluralismo de ideias no ambiente acadêmico” e “liberdade de consciência e de crença”, a maioria dos estudantes se colocou favorável, apontando que a contrariedade está ligada às questões limitadoras do projeto.

Veja todo o questionário com os resultados aqui 

Quero na Escola é uma plataforma gratuita e aberta a qualquer estudante adolescente para que digam o que gostariam de aprender dentro de suas escolas públicas, além do currículo. As informações são organizadas no site por escola e assunto para que qualquer pessoa com o conhecimento pedido possa se inscrever para ajudar. Depois nós conectamos as duas pontas e facilitamos o agendamento de visitas às escolas.

Pedidos de contatos dos estudantes para entrevistas e outras informações pelo email central@queronaescola.com.br

Veja todas as notícias sobre encontros de voluntários com alunos em Notícias do Quero na Escola.